Blog do Notre


Analisando os impactos sociais do sal de cozinha à luz da Química

Por

Durante as aulas online os alunos da 1ª série do Ensino Médio estão aprendendo sobre a Tabela Periódica e como os elementos químicos se combinam para formar substâncias. Nesse contexto, o professor de Química Lucas Lira orientou a produção de uma dissertação argumentativa evidenciando quimicamente o impacto do cloreto de sódio, o sal de cozinha, em nossa sociedade. Veja abaixo um exemplo brilhante de texto produzido pelo aluno Caio Tomiato.

O cloreto de sódio (NaCℓ), vulgarmente conhecido como sal de cozinha, é uma substância composta por um cátion do metal sódio (Na+) e um ânion do ametal cloro (Cℓ-), os quais se conectam através de uma ligação iônica.

A ligação iônica, a qual consiste basicamente da união de dois íons distintos por conta da oposição de cargas eletrostáticas, implica em uma estrutura organizacional muito específica de substância química, denominada retículo cristalino. Trata-se de um compacto conglomerado extremamente organizado de cátions e ânions que interagem entre si, mantendo forma física específica. Por conta dessa organização coesa, o cloreto de sódio apresentará algumas peculiaridades provocadas por esse tipo de estrutura, como solidez em temperatura ambiente, elevados pontos de fusão e ebulição e solubilidade em água. Suas outras duas propriedades, a condutibilidade elétrica elevada quando dissolvido e a consistência dura e quebradiça, são consequências da presença de cargas elétricas opostas no retículo.

Devido às altas temperaturas necessárias para induzir sua mudança de estado, o cloreto de sódio pode ser facilmente separado da água do mar através do processo de evaporação, sem haver sua fusão ou ebulição durante o procedimento. Nas salinas, por exemplo, tanques rasos de água salgada são deixados ao relento até a evaporação total do líquido, deixando para trás apenas o sal, recolhido e beneficiado posteriormente.

A produção de sal é uma atividade de vital importância para diversas regiões litorâneas do mundo, sendo o destaque brasileiro o estado do Rio Grande do Norte, responsável por 95% do volume extraído do produto no país. Essa importante atividade econômica, responsável pela captação de um recurso essencial na dieta humana, é possível devido ao conhecimento das propriedades químicas de compostos iônicos como o cloreto de sódio, deixando claro que a expertise científica pavimenta o caminho de melhora da qualidade vida humana.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *