Blog do Notre


Aniversário na Escola

Por

As crianças gostam muito de comemorar o aniversário na escola. Trata-se de um momento muito significativo, no qual é partilhado o afeto.

No Notre Dame Júnior, o aniversário na escola é simples e prioriza princípios como a celebração da vida e a valorização da amizade. Na agenda, seguem recomendações para as famílias referentes a esse momento. Os pais devem combinar o dia da comemoração com a professora, antecipadamente, e enviar somente o bolo, guardanapos, pratos, garfos e vela. Pedimos para que não enviem convites, presentes, enfeites, lembrancinhas, salgados, doces e refrigerantes.

A simplicidade desse momento tem por objetivo evitar o consumismo. As crianças se divertem e ficam felizes sem receber ou se apropriar de algo material. Da mesma forma, não distribuímos brindes, lembrancinhas de viagem ou de outras comemorações.

O debate sobre o consumismo, especialmente o infantil, vem se destacando cada vez mais por ser uma questão urgente e de interesse coletivo. Embora ele tenha se tornado uma das principais características da sociedade atual, sabemos que nenhuma pessoa nasce consumista. Pelo contrário, todos somos muito influenciados pelas mídias e incentivados a consumir de maneira inconsequente. As crianças, por sua vez, são mais vulneráveis e sofrem cada vez mais cedo com as consequências desse hábito (obesidade infantil, erotização precoce, substituição de presença por presentes etc.).

Os investimentos publicitários destinados à categoria de produtos infantis vêm crescendo rapidamente. Como as crianças são compreendidas como consumidores em formação, o mercado tem investido muito em recursos atrativos que convençam essa faixa etária. Estudos revelam que as crianças brasileiras influenciam 80% das decisões de compra de uma família.

É necessário olhar para a infância considerando essas questões. Ela precisa ser preservada em sua essência como o tempo indispensável e fundamental para a formação da cidadania. Indivíduos conscientes e responsáveis são a base de uma sociedade mais justa e fraterna, que tenha a qualidade de vida não apenas como um conceito a ser perseguido, mas uma prática a ser vivida. Precisamos estar atentos ao que consumimos e a quantidade que consumimos. Nossas crianças absorvem tudo o que fazemos. As relações de consumo não podem tomar o lugar das relações humanas e sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *